4 de nov de 2012

[Enquete] Você consulta resenhas literárias antes de comprar um livro?

No dia 29/08/2012, o PublishNews publicou a matéria Artigo do New York Times lança polêmica sobre “mercado” de resenhas de livros que me fez refletir sobre a questão das resenhas literárias e despertou uma curiosidade:

Você consulta resenhas literárias antes de comprar um livro?

Até que ponto as nossas opiniões críticas sobre os livros que lemos são influenciam na decisão alheia e são verdadeiras formadores de opiniões.

Vale ler na íntegra do artigo abaixo, mas deixo a enquete na fan page do blog lá no Facebook (para votar, clique AQUI!).



Aguardo as respostas de vocês!!


---


Artigo do New York Times lança polêmica sobre “mercado” de resenhas de livros

PublishNews - 29/08/2012
Autodenominado “guru” do self-publishing está na berlinda, mas planeja volta
Todd Jason Rutheford trabalhava numa empresa de self-publishing, distribuindo incansavelmentereleases sobre seus autores,  sem nunca obter resultado. Um dia decidiu lucrar com a escassez de resenhistas no mercado e passou a vender críticas de livros – daquelas que se coloca estrelinha e tudo - como se fosse um leitor. Em 2010 ele fundou o GettingBookReviews.com (que não existe mais) e começou a cobrar US$ 99 pela crítica de um livro, US$ 499 por vinte e US$ 999 por cinquenta resenhas. Todas espetaculares, claro. Apesar das reclamações, os negócios alavancaram.

O artigo do New York Times publicado no último final de semana destrincha o “mercado” de resenhas de livros de Rutheford, mostrando que jornalistas recebiam US$ 15 por resenha, que muitos a faziam apenas a partir de informações tiradas da internet e que, mesmo se os resenhistas não eram obrigados a dar nota máxima aos livros, a grande maioria das críticas eram positivas.

Segundo uma pesquisa citada pelo jornal, 80% das resenhas da Amazon dão 5 ou 4 estrelas aos produtos. Dado que as pessoas tendem a escrever mais para reclamar do que para elogiar, o resultado é, no mínimo, paradoxal. Para alguns, o artigo abre os olhos do comprador de livros online e mostra a famosa review como ferramenta de marketing, para outros ele apenas explicita um hábito que todos já conhecem. O fato é que o mercado reagiu, e muito.

Salon foi pragmática, publicou uma nota indagando se o self-publishing poderia comprar respeito: “O serviço em si não é tão chocante. Não é como se você conseguisse comprar críticas de canais legítimos como Publishers Weekly, ForeWord e Kirkus, mesmo se eles possuem serviços de compras de resenhas.”

E foi justamente o Publishers Weekly o mais categórico em sua revolta. O blog de notícias PWxyz se mostrou indignado ao receber na última segunda-feira um press release de Todd Rutheford elogiando seu próprio trabalho, ressaltando sua aparição no NYT e falando sobre sua volta ao mercado editorial. “O email de Rutherford é um claro sinal de que ele pensa que não há nada de errado em manipular o sistema se este lhe permitir ser manipulado. O único problema é que ele não percebeu que ele foi pego.” Incrédulo, Rutheford responde, nos comentários: “Por que as pessoas são tão rápidas em jogar a primeira pedra? Cometi erros? Sim! Por que as pessoas pensam que é errado eu contar a minha história, continuar meu caminho e tentar fazer coisas certas?”

O impacto do artigo deve diluir nos próximos dias, mas será que as estrelinhas das resenhas perderam de vez o seu efeito?  

Nenhum comentário :

Postar um comentário