4 de set de 2012

Os blogs, as parcerias e o conteúdo jabá

A blogosfera toda acompanhou de pertinho o caso dos três blogs de moda e beleza que estão sendo acusados de fazerem posts pagos velados (não-explicitamente) sobre produtos da nova loja da Sephora, recém-inaugurada no Brasil. 



Se você é blogueiro e não sabe do que estou falando corra para fazer a lição de casa e se atualizar, porque não importa o conteúdo do blog, mas sim que, pela primeira vez, o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) investiga irregularidade na veiculação de publicidade em blogs. E mais: o órgão abriu processos contra cada um dos blogs para investigar a suspeita de propaganda velada nos posts. 

A suspeita se deu por conta da simultaneidade em que os posts foram publicados e, principalmente, a semelhança dos textos nos três posts. 

Segundo reportagem publicada na Folha de S. Paulo (29/08), a assessoria de imprensa do Conar explicou que  "blogs não podem tentar disfarçar ou fazer com que o consumidor não perceba que se trata de propaganda comercial". Ainda de acordo com a reportagem, o órgão também explicou que toda publicidade deve ser claramente identificada e percebida como tal pelo consumidor. 

E se você, leitor deste blog literário, está se perguntando o que temos a ver com os blogs de moda, é justamente aí que entra a explicação para este post. Afinal, a prática de parceria entre blogs literários e editoras é cada dia mais comum. Mas, como vimos acima, essa prática tem regras que devem ser seguidas. 

Eu, como toda boa blogueira que se preze, sou acima de tudo, leitora assídua de outros blogs de diversas áreas de interesse. Mas a lista de blogs literários que sigo é cada vez mais restrita. Isso porque é só ver o logo da editora na home do blog, que já sei que a resenha vai ser um jabá cheio de blábláblá enchendo o livro, o autor e a editora de elogios, mas esvaziando o leitor de conteúdo. 

O caso dos blogs de moda citado acima é um grito de alerta para que tanto as editoras quanto os blogs fiquem atentos ao simples fato que, mesmo não sendo pagos em dinheiro, os blogs estão sendo pagos com mercadoria (e sim, livros são uma forma de pagamento pela publicidade que os blogs geram, nem adianta vir com #mimimi). E não vejo mal nenhum nisso. Muito pelo contrário. Blogueiro também tem que comer, pagar contas e sustentar famílias. O mal está em não deixar isso claro para o leitor, que não pode ser ludibriado e nem tratado como um imbecil pelos blogueiros. 

Não dá mais para aguentar essa jabazeira de só elogiar os livros, as editoras, os autores. É impossível alguém sempre gostar de tudo. Isso, por si só, já é digno da perda de respeito e credibilidade. Se o blogueiro quer ter profissão regulamentada e ser levado a sério, deve lembrar que tem a obrigação de transmitir informações verdadeiras, com conteúdo agregado e jamais deve esquecer de citar suas fontes. 

Vale ficar atento porque o mercado está olhando para nós, blogueiros, como um potencial de conteúdo agregado e, portanto, os órgãos regulamentadores vão ficar cada vez mais antenados, exatamente como deve ser. 

Afinal, não se pode levar a sério quem não se leva a sério, né? O jeito é arregaçar as mangas e trabalhar duro para que o seu blog acrescente informações relevantes à vida dos leitores. 

#ficaadica, pessoal! 


Não sei o autor disso, mas olha: parabéns!! :)

-----
P.S.: Sobre o caso Sephora, em reportagem à Folha, a empresa negou as acusações, como já esperado. Para saber mais sobre o caso, vale visitar os sites da Folha, da Veja e da Istoé Dinheiro

21 comentários :

  1. Acho que existe uma má fé dos dois lados: blogueiro e leitor do blog.

    Ver logo de parceria e logo ir achando que o blog faz jabá é desconhecer a diferença entre publicidade e parceria. Certo que muitos blogs mais elogiam os livros que outra coisa, mas uma premissa das parcerias entre editoras e blogs é que o blogueiro tem a liberdade de escolher o que quer para ler (e o blogueiro, claro, vai escolher justamente aquilo que espera lhe agradar). Quando o contrário acontece, cabe ao blogueiro decidir publicar a resenha negativa ou não (e tem muita gente que não gosta mesmo de fazer resenha negativa e prefere se manter calado quando é o caso, sendo livro de parceiros ou não).

    O livro é um produto, o blogueiro recebe um ganho, sim, mas até agora não vi uma editora sequer a obrigar blogueiro a falar apenas bem sobre seus livros. Isso não existe, e quem acha que existe, á ingênuo demais.

    Mas sim, o blogueiro muitas vezes se sente obrigado, mas por um medo infundado de que pode vir a perder parceria ou etc. Caro, se tu acha que falar mal de um livro vai queimar teu filme, a editora com quem tu tá lidando sinceramente não merece a tua atenção.

    Tem que ter bom senso dos dois lados, do blogueiro e do leitor.

    Se toda resenha de livro parceiro for publicidade, me desculpe, mas os cadernos de cultura dos jornais ou revistas (a tal mídia séria) é uma grande publicidade (também recebem livros, assistem filme de graça, fazem viagens de cobertura patrocinadas por empresas e nem dizem isso pro leitor).

    Sobre o caso das blogueiras de moda, achei mais do que certo. É preciso indicar que está fazendo um publieditorial, receber release ou seja lá o que for e publicar como se fosse um conteúdo próprio levando os outros a pensarem que é realmente isso só denigre a imagem e a credibilidade do blog e da marca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato! Os blogs - de todos os assuntos - estão ganhando força a cada dia. Tem que fizer de olho para não ludibriar o leitor.
      E sei que as parcerias não obrigam ninguém a falar bem dos livros, mas é oq, de maneira geral, acontece. E daí, blog literário cai no senso comum de que é texto pronto, sem conteúdo e sem argumentação do "gostei" e "não gostei".
      E não afirmei que resenha é publicidade. O exemplo das blogueiras de moda foi para deixar claro que os blogs têm força e importância SIM. O post é para chamar atenção para o fato de que é necessário focar no CONTEÚDO online. É isso que agrega. Não tem como escapar!

      Excluir
    2. Ah, só um PS: tb não disse que cadernos de cultura dos jornais ou revistas são mídias sérias. Aliás, BEM longe disso. Desconfio desse rótulo. Eu levo blogs MUITO a sério. Não só pq tenho um, mas principalmente pq são minhas principais fontes de leitura diária.

      Excluir
    3. Hehehe, sim sim, não foi tu que disse, mas fiquei me coçando pra comentar isso porque é o que muita gente pensa. "Aaah, é parceria, é post vendido, só fala bem, etc. etc.". Tem muita gente que não sabe diferenciar isso, e isso me deixa tão chateada... Poxa, a gente trabalha pra caramba pra fazer um blog sério, cuidar dos textos, não cometer gafe nenhuma, trazer informação além da ~sinopse-gostei-não-gostei~, pra vir uma pessoa do nada nos comentários e dizer "aah, falou bem porque é de parceria".Não é assim, e se acha que é, tá na hora de procurar uns blogs melhores pra ler...

      #desabafo xD

      Excluir
    4. #desabafo válido! haha! Eu entendo o seu ponto de vista. Por isso defendo que internet vive de conteúdo. E de qualidade, por favor!! rs!

      Excluir
  2. Pelo que entendi do caso da Sephora. O que rolou foi simplesmente um trabalho preguiçoso dos blogs. Parece que foi enviado um release para um monte de gente e, elas, no caso, praticamente copiaram e coloram a coisa.

    É claro que essa era, provavelmente, a intenção da empresa. Mas um blogueiro, assim como jornalistas, não pode pegar um release e botar lá quase na íntegra; sem pesquisar, sem se aprofundar e etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o blogueiro, se quiser, até pode ser preguiçoso ou, na correria, ir lá e postar o release. Não é o ideal, mas não é crime. Oq mais incomoda é tentar enganar o leitor. Não dá pra fingir que o leitor é idiota. Ele não é! Tem que deixar as coisas claras. Se é para postar o release, então deixa claro que é o release e de preferência com o contato da assessoria no rodapé, sabe?
      Pq as coisas não podem ficar nas entrelinhas.
      A internet precisa de gente que agregue, e não que finge que agrega. Rs!

      Excluir
  3. Oi Talita,

    Li as reportagens mencionadas em um site de notícias e fiquei triste, é deprimente saber o quanto as opiniões são compradas hoje em dia. Acredito nos blogueiros e como você respeito quem vive apenas disso também, mas até mesmo quem vende um publieditorial deve enfatizar que, o produto mencionado é parte de uma cortesia e opiniões positivas ou negativas, jamais devem ser omitidas, mas ditas. Fazemos assim com nossas resenhas, e como falar de um livro recebido como cortesia? Claramente. Sempre.
    Claro que, jamais iremos dizer palavras ofensivas ou chulas, mas um gostei e não gostei é fundamental na originalidade de um autor/blogueiro. Toda crítica deve ser construtiva, se o livro é bom, terá seu mérito e se não o for, terão suas críticas e defeitos analisados cuidadosamente, com respeito, mas com exatidão e verdade.
    Quando criei meu blog, não recebia livros para ler/resenhar, eu os comprava/emprestava/alugava. A paixão e o amor à leitura deve ser independente de negócios/cortesias/parcerias, se for assim, jamais vai funcionar, uma hora vai acabar, quantos blogs conheci ao longo destes anos que nasceram e morreram sem deixar vestígios na blogosfera?
    A receita é simples: Não se vender jamais. Não vendemos resenhas, não vendemos opiniões! Quer mandar um livro para ser postado no blog? Ótimo. Mas não espere palavras preciosas e nem crítica positivas, se eu gostar vou falar e se não gostar também, é assim que funciona, para ter um blog de livros, tem que ser mais do que leitor, tem que ser um crítico, um artista das palavras. Fazer a diferença!
    Sabe o que mais tem valor? A recompensa de transmitir valores. Onde trabalho, uma pessoa me procurou e me disse: Minha filha tem 13 anos e odeia ler, queria que ela tivesse o hábito de ler, mas não consigo fazê-la mudar de ideia. Eu disse para ela que retirasse da biblioteca dois títulos que eu lia muito na idade dela. E a minha recompensa: Ela me procurou e disse: Nem sei como agradecer, minha filha fez cara feia para os livros, mas eu insisti que ela ia gostar e hoje (dois dias depois) ela me pediu que emprestasse as continuações da série na biblioteca. Uma recompensa gratificante e indubitavelmente "a melhor" que todo amante de livros pode receber, que é transmitir à cultura, a paixão ao mundo dos livros: o hábito de ler.

    Talita, parabéns pela postagem, não é uma crítica aos blogs literários, é um aviso de que, não é impossível de acontecer e que devemos estar atentos nesse "mercado de resenhas".

    Até breve!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thais!
      Acho que vc entendeu bem a essência desse post! Porque eu quero mais é que não parem de surgir blogs no mundo, em especial os literários.
      E o post não é uma crítica: é um ALERTA! porque não podemos nos vender ou nos deixar ludibriar pela delícia de receber livros e, só por isso, enganar o leitor do blog com falsas opiniões.
      Vamos mudar o rumo dessa blogosfera literária!!

      Excluir
  4. Minha lista de blogs literários também é bem restrita. E invariavelmente eu dou mais crédito para aqueles que nao tem parceria. Porque né, só da pessoa falar que quando nao gosta prefere nao comentar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ué, quem prefere não gastar tempo resenhando livro que não gosta faz isso pra qualquer livro, não só de parceria porque foi ~ganhado~ Vai da pessoa querer dar espaço no seu blog pra um livro que não curtiu ou não. E é um negócio que se percebe acompanhando o blogueiro, conhecendo as preferências dele.

      Parceria não define caráter de blog, não é sinal de credibilidade nem do contrário. Nunca deve ser. Como a Talita bem disse, o importante é o conteúdo, se faz algo realmente legal (não copia sinopse, se digna a conferir as informações - o que vejo de blog por aí que escreve título de livro, nome de autor ou personagem errado e nem se digna a corrigir)... Enfim, já avaliar o conteúdo do blog por causa de um selinho de editora (ou pela falta de) é abrir brecha gigante pra perder um espaço legal (ou dar crédito pra outro que faz um trabalho meia-boca)

      Excluir
    2. Concordo com a Taize. Eu não leio o blog X ou Y pq tem ou não parcerias. Eu leio pq me acrescenta algo de bom, de útil.
      Não tenho nada contra parcerias, muito pelo contrário. Mas me assusta essa onde de blogueiros que, em muitas vezes e com exemplos citados pela Taize, deixam claro que nem se deram ao trabalho de LER o livro.
      Então, como resenhá-lo??

      Foco no conteúdo, pessoal! Vai por mim!!

      Excluir
  5. Desculpa , apesar de concordar com alguns dos seus pontos. Tenho que dizer que você blogueira e profissional do mundo literário se mostrou extremamente preconceituosa. O fato do blog ter parceria não significa que ele vende suas opiniões, isso é bobagem de quem quer colocar a culpa nos outros.
    Mentir ou não é uma questão de cada pessoa, com parceria ou não. Muitos blogs tem parceria e nem por isso falam mentiras. Então gostaria de deixar claro que o que você fez foi uma generalização que eu chamaria de ignorante.

    "Mas a lista de blogs literários que sigo é cada vez mais restrita. Isso porque é só ver o logo da editora na home do blog, que já sei que a resenha vai ser um jabá cheio de blábláblá enchendo o livro, o autor e a editora de elogios, mas esvaziando o leitor de conteúdo..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marília!
      Desculpa se o tom foi preconceituoso, mas to longe de ser preconceituosa. Afinal, eu tb tenho um blog literario. A intenção foi alertar pq, generalizando, oq acontece é o jabá de conteúdo mesmo.
      Li, por muito tempo, diversos blogs literarios. E eram poucos os que realmente faziam a diferença. Não é preconceito, é factual e é triste.
      Pense nos blogs que vc lê. Quantos são?? E pq escolhe esses para ler e não outros??

      Excluir
  6. Mais uma vez me desculpo Talita, mas seu tom não PARECEU preconceituoso, ele FOI preconceituoso e AINDA é. Leio muitos blogs que tem parcerias e confio em suas opiniões porque sou capaz de perceber quando alguém é só elogios pra tudo. Muitos blogs tem parceria e mesmo assim mantem a sua dignidade, parceria não é algo ruim, se alguns acham que precisam vender a alma por isso, isso é mal da sociedade e não somente dos blogs.
    Você pode alertar para algo que é 100% verdade, generalizando. Mas como já diz o ditado, toda generalização é burra.
    Sinto muito por você não ser capaz de perceber o quão absurda e preconceituosa foi a sua declaração, muitos fazem jabá, não todos.

    ResponderExcluir
  7. Saudades da época em que escreviam porque gostavam, e não porque ganhavam...
    Parabéns pelo post! :-)

    ResponderExcluir
  8. Primeiro, só pra constar: Eu não tenho nada contra blogueiro que ganha para falar sobre um produto, creio eu, que é mérito do blogueiro que consegue ser visto como alguém cujos textos são lidos e levados em consideração.
    Infelizmente, como em todo local, tem a turma que só quer saber dos mimos ou do $ mesmo e, nem lê ou experimenta o que recebe, apenas 'faz a sua parte no acordo' que ele acha seja servir como vendedor do tal produto...
    Assim como na feira tem gente que odeia jiló e diz que adooora só pro consumidor levar, na blogosfera não é diferente...
    Mas verdade é que esse é um assunto que eu não entendo bem :)

    Bem, eu cheguei aqui através do google porque estava tentando entender como funciona essa coisa de blogueiros ganhando livros, muitas vezes não só o livro, mas kits com outros 'mimos'.
    O assunto me interessou porque tenho mania de comprar livros sobre filmes e estava procurando resenhas/opiniões sobre "Branca de Neve e o Caçador" e vi que em muitos blogs havia esse kit que, nos sites de compra, eu não encontrei...

    Mas não foi o kit o que mais chamou minha atenção e sim o fato das resenhas, em vários blogs, serem muito, muuuuito parecidas, não só no quesito 'gostei-não-gostei', mas várias frases que deviam transmitir opiniões pessoais, eram completamente iguais...

    Povo devia ter vergonha dizer que está 'dando sua opinião' sobre algo quando a mesma é via Ctrl C / Ctrl V

    Coisa feia! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie!
      Eu tb não tenho nada contra parcerias! Só acho que as coisas têm que ser claras e não tentar ludibriar o leitor!
      Mas concordo com vc: ou dá opinião de verdade, ou não fala q está dando, nÉ?

      Excluir
  9. Meu ponto de vista é que os blogs juntos formam a principal ferramenta para desmanchar essa coisa de "informaçãovendida . Do mesmo jeito que um blogueiro pode se senti entimidado para escrever mal sobre algum livro, ele pode se sentir a vontade.
    O leitor tem que ter tal maturidade para saber avaliar os blogs.
    Porque é isso que acontece com as revistas também, não? Há revistas de relevância tamanha que são tendenciosas, puxam para um lado, principalmente na política , e tentam manipular quem lê. Oras , então vão em cima delas também !
    Concordo que não é legal blogueiros agirem de tal forma . Mas como isso aqui, a internet, é como se fosse um local público... e No local público tem muita gente que repete e manipula pessoas por apenas voz... Dá no mesmo.
    Vamos ter maturidade para saber avaliar o que é correto ou não ! :D

    ResponderExcluir
  10. venha conhecer nosso sistema de divulgação (manual surf), no link abaixo
    http://dultranole.p.ht

    ResponderExcluir