14 de jan de 2011

[Dica de outras boas leituras] Livraria é livraria, e biblioteca é outra coisa

Publicada no PublishNews, a matéria "LIVRARIA É LIVRARIA, BIBLIOTECA É OUTRA COISA" traz à tona a discussão entre livrarias, editoras e o projeto de Lei nº 7913/2010, que “dispõe sobre a livre circulação e produções intelectuais”.

Basicamente, o que ele espera é que todos os livros lançados no Brasil sejam vendidos em todas as livrarias do país. A loja perderia, assim, o direito de escolher os produtos que quer vender e teria de abrigar a cada ano alguns milhares de novos títulos. Só em 2009, segundo a pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial feita pela Fipe, foram mais de 22 mil lançamentos e 30 mil reedições.


Para ele, há um jogo econômico nas escolhas, o que impede que novos autores ou autores independentes e pequenas editoras consigam fazer suas ideias e suas obras circularem. Agora, se 35% das livrarias brasileiras faturam até R$ 350 mil e outros 24% ficam na faixa dos R$ 600 mil a R$ 1,2 mi, conforme mostrou o Diagnóstico do Setor Livreiro da Associação Nacional das Livrarias (ANL) apresentado em 2009, a conclusão é clara: nossas livrarias são pequenas. Caberá tanto livro?

Gostaria de deixar bem clara aqui minha opinião: acho isso uma palhaçada!! Cadê o direito à democracia? A loja é minha e vendo o que bem entender aqui dentro. Né?
Projeto de Lei inútil, que só vai servir para causar polêmica e dor de cabeça para quem trabalha e vive disso, que não é o caso do Senhor Bonifáco de Andrada (PSDB-MG), o Deputado que propôs esse Projeto de Lei, né? Muito pelo contrário, ele é autor de diversos livros e, portanto, visa o interesse próprio, como já é de praxe na política brasileira.

Vale dar uma passadinha no blog A BIBLIOTECA DE RAQUEL para entender melhor sobre isso.

Leia AQUI a matéria na íntegra e fique por dentro dessa briga, pois, com certeza, ela determinará o futuro do mercado editorial brasileito.

Um comentário :

  1. Com tanto problema de educação brasileira,o que esse senhor quer é aparecer! Só pode ser...Falar de direito à informação e cultura para todos e deixar a educação de lado? Querer dar pitaco no livre comércio sem se preocupar se s as pessoas não sabem ler direito!
    Livro é comprado por prazer!!!! Não podem querer " unificar" esse prazer! É como querer que uma pastelaria venda todos os tipos de pastéis imaginados até hoje!Onde está o direito de comprar e vender que os comerciantes tem?
    Daqui a pouco qualquer toda loja de roupas deverá ter de tudo (desde perucas a sapatos)!

    ResponderExcluir