11 de jul de 2011

[flip] Enfim, a FLIP - Parte 1



Eu sei que prometi postagens instantâneas. Mas era tanta coisa pra ver e tanta correria, que não deu tempo. Era uma coisa ou outra e, sem querer parecer grosseira, achei melhor curtir o momento lá e depois contar para vocês tudo com calma e a devida atenção.

Confesso que estava com medo de me decepcionar (sabe como é, quando a expectativa tá lá em cima, né?). Mas a cada passo em Paraty, eu era surpreendida por algo que me encantava.

Vou postando minhas impressões aos poucos e, assim que tiver um tempo, vou baixar as (quase infinitas) fotos que tirei e disponibilizá-las para o acesso de vocês.

E se é para começar do começo... bom, que tal falar um pouco da...


ESTRUTURA

Eu só estive em uma edição da Flip antes dessa e, apesar de ter me apaixonado (o homenageado era justo Nelson Rodrigues, por quem sou completamente enlouquecida, rs...), vi grandes problemas estruturais na festa. Tudo (tipo... TUDO MESMO) acontecia na Tenda principal. Era uma zona, uma confusão, tanta gente apra todos os lados, que acabava incomodando bastante! Quase uma sensação de claustrofobia num lugar que não era fechado, entendem?

Pois para minha adorável surpresa, a Flip está de cara nova. A Tenda dos Autores é composta pelo auditório, bilheteria e um café. Seguindo pelo lado direito, na calçada construída à margem do Rio Perequê, havia a Livraria da Flip (Livraria da Vila), Tenda dos Autógrafos e, um pouco mais a frente, a Loja da Flip e caminhando um pouco mais, havia a Tenda do Telão, que permitiu que, mesmo os sem ingrressos (como eu!), pudessem assistir as mesas, apesar de fazer frio e ventar mais.

Ficou muito mais arejado, mais organizado, menos tumultuado e muito mais agradável.

Estrutura da Flip, vista do meio da ponte


Fora que Paraty é uma beleza à parte, né? Mas disso a gente conversa mais pra frente...

4 comentários :

  1. Oi Talita!

    Foi a todos os dias da FLIP? Eu tive que voltar no sábado pela manhã, perdi as melhores mesas. Mas a sexta feira valeu a pena, ver o valter hugo mãe e logo em seguida o Ignácio de Loyola Brandão, ambos contando histórias lindas que me emocionaram ao final das mesas. Foi minha primeira vez e como dizem: "a primeira vez a gente nunca esquece". Daqui pra frente não quero perder uma Flip! Que lugar lindo, que clima maravilhoso, que programação... Tudo, tudo, tudo. Fora que Paraty é um show à parte. Só as ruas de pedras que matavam minha coluna de velha, mas ainda assim... É tão lindo que a gente releva!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oii,
    queria muito ir na FLIP, mas nunca dá pra eu ir buá buá

    Visite e não deixe de comentar no .. http://migre.me/56Zw3

    Beijos e Boa Leitura!!
    Marina Barcelos
    contato: marysbarcelos@hotmail.com
    Blog: http://www.livrospelacasa.blogspot.com
    Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=100000120207580
    Skoob: http://www.skoob.com.br/usuario/173535
    twitter: @mary_gattuso

    ResponderExcluir
  3. Oi Iris! Infelizmente, só pude ir no sábado! Trabalhei ate sexta normalmente e consegui ir para Paraty sábado sexta.
    E sim, aquela cidade é um show à parte!!!! :) q delícia e que dia lindo estava lá!
    Espero que vc volte sempre!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Marina! programe-se para tentar ir no ano que vem!!!

    ResponderExcluir