15 de mar de 2016

Pipoca Editora é aprovada para programa de incentivo na Espanha

Editora Pipoca tem uma grande novidade! 
Ela foi uma das selecionadas para integrar o grupo de startups incubadas pelo programa EmprendeLibro, da Espanha. 





Resultado da parceria entre Factoría Cultural de Madrid e a Fundación Germán Sánchez Ruipérez, com apoio do governo espanhol e da Fundação Carolina, a iniciativa tem como objetivo identificar, consolidar e internacionalizar projetos inovadores no âmbito da edição digital e realizados nos países da América Latina e na Espanha.

Para alcançar essa missão, o projeto oferece oficinas e sessões de mentoria para ajudar a editora a criar estratégias personalizadas nas áreas de marketing e financeira. A Pipoca e outros seis selecionados concorreram com 40 projetos.
O projeto que levou a Pipoca até o Emprendelibro foi o Palomitas. 
Suria Scapin, fundadora e editora da Pipoca, embarca para Espanha, onde ficará entre março e agosto explica o projeto. "O negócio do livro digital muda um pouco o cenário em que a lógica para uma editora chegar a um outro país ela precisa passar por outra editora. Ela pode chegar direto aos consumidores, traduzindo seus livros. mas tendo uma editora local como parceira -- e levando os títulos dessa editora para o seu pais -- é provável que ambas obtenham mais retorno. além de terem menos gastos." 

Para Isabela Parada, sócia-fundadora da Pipoca, o mais importante é participar de uma atividade que se alinhe com o modelo de negócio da editora. "Já participamos de atividades específicas para startups e não conseguimos nos sentir exatamente encaixadas, pois o negócio editorial, mesmo no caso digital, não segue exatamente todos os requisitos do que se espera de uma startup", explica. 

E complementa: "o programa Emprendelibro busca exatamente trabalhar nesse espaço híbrido em que nos encontramos".

Suria acredita que além de o programa permitir que a editora se aprimore e comece a dar passos para a internacionalização, é muito interessante que aconteça em Madrid. "A Espanha é um país com um mercado editorial forte. Basta ver a fatia do mercado brasileiro que está nas mãos de empresas espanholas, como SM, Santillana, Planetaetc... e nós nem somos hispanohablantes!", destaca, ao afirmar animada: "a possibilidade de conhecer mais de perto esse mercado também é algo muito interessante para nós e para a Pipoca!"

Nenhum comentário :

Postar um comentário