7 de ago de 2010

O porquê da FLIP

Lembro que ainda estava no colégio quando aconteceu a primeira edição da Feira Literária Internacional de Paraty, a FLIP, em 2003. E foi nesta mesma edição que afirmei, confiante, que um dia eu ainda estaria lá. Foi apenas na edição de 2007, quatro anos depois, que consegui realizar este sonho.

Estava no último ano da faculdade de jornalismo da PUC-SP e meu TCC era sobre Nelson Rodrigues (qualquer dia farei um post sobre isso aqui), o homenageado de FLIP naquele mesmo ano. Conspirando a meu favor, meu pai trabalhava no Grupo Ediouro, que estava publicando as novas edições dos livros de Nelson. Prato cheio, né? Lá fui eu para Paraty!

Foi uma experiência única e, infelizmente, nunca mais a repeti, ainda.
É uma época em que se respira cultura, inala-se literatura... Cruzamos as ruas com autores famosos, vamos às festas e baladas com jornalistas, agentes e editores. É um luxo para o mercado. É um sonho aos aspirantes!

Deixando de lado toda importância do evento à cidade de Paraty, pois creio que isso seja bastante claro a todos nós, falemos aqui da importância de um evento como esse para o Brasil.
A FLIP recebe, todos os anos, autores mundialmente respeitados. E, por conta disso, o Brasil passou a fazer parte do cricuito dos festivais internacionais de literatura, sendo considerada um dos principais eventos do ramo; não só pelos autores convidados, mas também por todos os shows, debates, exposições, exibições, apresentações, oficinas e atividades que proporciona, aos adultos e às crianças. 






Concordo que a elite cultural do país é quem povoa as ruas da bela cidade do Rio de Janeiro nestes breves quatro dias de eventos. E que é um quadro que, dificilmente, mudará. Porém, incluir o Brasil neste circuito elitista de luxo cultural, é SIM um avanço para nosso país. É um convite ao exterior a conhecerem o nosso lado cultural, os nossos leitores, as nossas editoras, os nossos publishers. 


Por isso, eu sou muito a favor da FLIP. E aconselho, a todos vocês, passarem ao menos um dia por essa festa incrível, em alguma das próximas edições! E então, contem se eu estava certa, ou não...


----


DICAS:

- O BLOG DA FLIP disponibilizou todos os vídeos das palestras desta edição que se encerra amanhã, 08/08/2010. Vale a pena dar aquela espiadinha...

- O BLOG DA COMPANHIA DAS LETRAS fez uma cobertura deliciosa de se ler sobre esta edição da FLIP, incluindo trechos de leituras feitas pelos próprios autores. Recomendo que facam uma boa leitura por lá.

3 comentários :

  1. Esse ano estarei na Bienal de São Paulo, mas um dia estarei (também) na FLIP! Vi alguns trechos que foram postados no twitter e etc, e provavelmente é uma experiência maravilhosa *-*

    ResponderExcluir
  2. Acho que todos os leitores sonham em um dia andar pela Flip e respirar seu ar literário. Já acho Paraty uma cidade especial. Imagina com os autores que você aprecia andando pelas suas ruas de paralelepípedos. Deve ser um sonho...

    ResponderExcluir
  3. Eu sou louca pra ir à algum evento como a Bienal ou o FLIP, mas, por enquanto, não tive oportunidade. =/

    ResponderExcluir