3 de jun de 2011

[Guest Post] O QUE MARTIN E TOLKIEN TÊM EM COMUM ALÉM DO “R. R.”?

Com a nova febre fantástica de "Crônicas de Gelo e Fogo" rolando por aí, o blog não podia deixar de comentar, né?

Para isso, ninguém melhor que o queridíssimo Thiago Ururahy (mais conhecido como @T_Hurukai), colunista da @_Fantastica. Afinal, ele já devorou todos os livros de Martin e fez uma análise bem interessante sobre o que (não) há em comum entre George R.R Martin e J. R.R. Tolkien, o grande autor de "Senhor dos Anéis", de quem ele é fã. Por isso mesmo, pôde falar com muita propriedade a respeito do assunto.

Com sugestão de título de alguém especial, Thiago fez um dos melhores textos comparativos que já li.
Cuidado com os [spoiler alert]  e boa leitura!
Espero que gostem! 

--


J. R.R. Tolkien X George R.R Martin







O QUE MARTIN E TOLKIEN TÊM EM COMUM ALÉM DE “R. R.”?

“... a mais importante obra de fantasia desde que Bilbo encontrou o anel.”

Uma das frases da contracapa de Guerra dos Tronos já nos leva a um assunto bastante debatido: Martin é o novo Tolkien? É melhor? É pior? As (poucas) semelhanças existem, mas eu entendo que são fortalecidas exclusivamente pelo fato de que o público é o mesmo. Não adianta limitar a argumentação dizendo que “As Crônicas de Gelo e Fogo” é uma série adulta, diferente da magia juvenil de “O Senhor dos Anéis”. O público é exatamente o mesmo e eu explico o motivo.

A saga chega em um momento que não poderia ser mais perfeito. Os leitores fanáticos de Tolkien cresceram. Eu li Tolkien com 15 anos e, desde então, ansiava por algo que suprisse essa lacuna literária. Pois bem, George Martin escreve exatamente para esses leitores como eu, que são apaixonados pelo “O Hobbit” e “O Senhor dos Anéis”, mas que esperam relações mais adultas entre os personagens e a história. Para nós, não basta mais um belo conto épico do bem contra o mal. Queremos ver uma linguagem mais pesada, passagens mais violentas e personagens mais ardilosos do que o velho estereótipo do herói (i.e., Aragorn).

A Guerra dos Tronos traz todos esses conceitos: intrigas, sexo, traições, mortes, perdas de entes queridos, romance e, claro, uma dose cavalar da velha e boa aventura que tanto amamos. E apenas nos dois últimos eu julgo sensata uma comparação entre os autores. “Senhor dos Anéis” apresenta um romance mais pueril e, até dado momento, platônico. “As Crônicas de Gelo e Fogo” carrega sua dose de amor sublime até a “página 2”, até porque [spoiler alert] o mais romântico dos personagens chega ao final da vida logo no início da série (no final do primeiro volume, Guerra dos Tronos,). [spoiler alert] Já com relação à aventura, temos os nossos hobbits transmutados na figura de Arya, seja com o humor providencial de Merry e Pippin ou com as dificuldades épicas sofridas por Frodo e Sam.

A partir desse ponto, esqueçam as comparações. E o motivo crucial para mim é a relação dos personagens com o leitor. Em “Senhor dos Anéis” você torce pelo bem e odeia o mal. Ponto final. A obra é grandiosa e perfeita, mas limita-se a uma linha óbvia. No livro de Martin, atire a primeira pedra quem não amou, odiou, riu e sentiu pena do mesmo personagem durante os acontecimentos. Estou falando de Tyrion Lannister, o anão. Você esperava que Robert Baratheon fosse um rei épico? Eu também. Depois você percebe que ele está mais para um porco fornicador épico.

Para mim, o último ponto forte que separa os dois livros é a condução da narrativa. Os dois dividem os capítulos em Unidades Dramáticas diferentes. Em “Senhor dos Anéis”, temos o núcleo de Frodo, o núcleo de Aragorn e o núcleo de Merry e Pippin. Em “As Crônicas de Gelo e Fogo” a coisa se torna grandiosa a ponto dos núcleos se cruzarem e voltarem a se separar mais de uma vez. Novamente, requer uma atenção maior do leitor, agora em um momento literário mundial que permite tais extravagâncias.

Concluindo, a comparação entre Tolkien e Martin só é válida porque o público envolvido pelas duas obras é o mesmo. Uma complementa a outra em um momento em que os leitores cresceram. Minha dica: dê “O Senhor dos Anéis” para seus filhos adolescentes. Garanto que alguns anos depois eles utilizarão seu primeiro salário como estagiários para comprar a série completa de “As Crônicas de Gelo e Fogo”.

Um comentário :

  1. As Crônicas de Gelo e Fogo estão sendo bastante debatidas nos blogs além de está na lista dos mais lidos, a alusão com a obra de Tolkien atrai ainda mais leitores, o artigo acima revela porém suas diferenças e agrada quem não teve a oportunidade de ler R.R. Martin, como eu...

    ResponderExcluir